O Lápis Mais Criativo do Mundo: mostra interativa no Museu da Língua Portuguesa reúne obras e produções criadas com um lápis

  • Na mostra gratuita, promovida pela Faber-Castell entre 8 de março e 3 de abril, os visitantes têm acesso a conteúdos inéditos de grandes artistas e personalidades brasileiras, criados a partir de um mesmo ponto de partida: um esboço a lápis;
     
  • São 40 obras, entre elas uma escultura de 1,70 m feita de lápis do artista Eduardo Srur; uma Prece da Criatividade, criada pelo Padre Fábio de Melo; e curiosidades como o esboço do 14 Bis do Santos Dumont; os primeiros rascunhos de personagens do Mauricio de Sousa; e o original da Música ‘Aquarela’, de Toquinho;

POR: Ideal H+K Strategies

Para celebrar o poder da criatividade em todo e qualquer território, e destacar a importância que o lápis tem para inspirar grandes obras, inovações, criações e objetos, a Faber-Castell promove, de 8 de março a 3 de abril, uma mostra gratuita no Museu da Língua Portuguesa, batizada de O Lápis Mais Criativo do Mundo. O espaço reúne produções exclusivas de grandes artistas e personalidades brasileiras das mais diversas áreas como arte, pop, ilustração, design, moda e arquitetura, criadas a partir de um mesmo ponto de partida: um esboço a lápis.

Ao todo, a mostra reúne 40 obras e produções, divididas em cinco grandes espaços: O Lápis Mais Criativo do Mundo; O Lápis e as invenções; Os Lápis Que Fizeram História; Os Lápis Fazendo Arte; e O EcoLápis Faber-Castell apresentando seu ciclo sustentável. Além de contar com experiências sensoriais e multimídia, oferecendo assim um ambiente imersivo e conectado à criatividade.

“Na mostra, queremos materializar o conceito de que qualquer pessoa pode ser criativa, basta ter o lápis. E, pensando nisso, reunimos criações de diferentes segmentos e em diversos formatos, criadas a partir de esboços a lápis, para que os visitantes se inspirem e despertem seu potencial criativo”, afirma Flávia Giordano, diretora de marketing da Faber-Castell. “Queremos que as pessoas entendam que a criatividade é para todos e pode ser utilizada das mais variadas formas. E nosso lápis tem sido, ao longo da história, uma importante ferramenta no processo criativo”, complementa.

área externa da mostra conta ainda com uma escultura de 1,70 m produzida a partir de lápis coloridos reciclados, produzida pelo artista visual Eduardo Srur, inspirada na criatividade. O espaço conta também com três paredes instagramáveis ao longo do percurso para que o visitante possa registrar a experiência, além de uma loja física da Faber-Castell ao final, para tornar o passeio ainda mais completo.

No O Lápis Mais Criativo do Mundo, oito artistas e personalidades de diferentes segmentos apresentam criações exclusivas que tiveram um ponto em comum: foram criadas a partir de esboços produzidos com o mesmo lápis, em uma corrente de criatividade. O espaço reúne uma “Prece da Criatividade”, do Padre Fábio de Melo; um vestido do estilista Alexandre Herchcovitch; luminárias do designer Paulo Biacchi; e outras obras inéditas dos artistas Sig Bergamin, Carlos Ruas, Hanna Lucatelli, Maddu Magalhães e Studio Dalzotto. Para oferecer uma experiência imersiva, cada criação conta com sons que remetem ao ateliê ou espaços nos quais foram criadas.

Na área dedicada ao O Lápis e as Invenções estão trabalhos de criativos brasileiros que tiveram um grande impacto para a sociedade. São três objetos em foco: Mochila Filtro, do projeto Água Camelo; Poste de Garrafa Pet, da organização Litro de Luz e Escorregador de Arroz, da Therezinha Beatriz Alves de Andrade.

Já no espaço Os Lápis que fizeram história, os visitantes encontram uma instalação multimídia no formato de livro digital com rascunhos inéditos de grandes invenções mundiais, entre elas: um esboço do 14 Bis de Santos Dumont; o Manuscrito da Missões Folclóricas de Mário de Andrade; e o Orelhão, criado por Chu Ming Silveira entre outras.

A mostra conta também com um espaço dedicado a expoentes da comunidade artística. Em Os Lápis Fazendo Arte estão os primeiros rascunhos dos personagens Bidu e Franjinha (da Turma da Mônica), de Mauricio de Sousa, e obras inéditas, criadas a partir de esboços a lápis, das artistas plásticas Regina Silveira, da drag queen amazônica Uýra Sodoma e intervenções multimídia do artista digital VJ Suave.

O último espaço da mostra ressalta um tema inerente à história da Faber-Castell: a sustentabilidade. Por meio do ambiente O EcoLápis Faber-Castell é apresentado todo o seu processo de produção. As pessoas podem interagir e aprender sobre o tema de uma maneira lúdica e divertida. A ideia é chamar a atenção do público para o fato de que a marca é a única empresa no mundo a plantar a madeira para seus lápis, que são 100% fabricados com matéria-prima de reflorestamento. Os mais de 10 mil hectares de florestas da Faber-Castell no Brasil absorvem mais de 900 mil toneladas de dióxido de carbono (CO2) da atmosfera, servindo não apenas como uma fonte sustentável de matéria-prima, mas também para compensar toda a pegada de carbono das unidades de produção da companhia em todo o mundo.

Para fechar com chave de ouro, o percurso termina em um elevador interativo com experiência sonora. Ambientado com a música ‘Aquarela’, do cantor Toquinho, o espaço faz uma homenagem ao artista que faz parte da história da Faber-Castell.

O Lápis Mais Criativo do Mundo

Realização e Concepção: Agência OITO™

Direção geral: Guil Salles

Direção criativa: Caio Campagni

Direção de Produção: Gabriel Polycarpo

Concepção e direção cenográfica: Mauricio Kusano

Design expográfico e arquitetura: Delistudio – Mauricio Kusano, Renato Bitencourt e Julia Lavieri

Direção Artistica: Demetrio Portugal

Gerencia de Projeto: Deco Mariano

Produção Executiva: Bruno F. F. Quental

Assistentes de Produção: Beatriz Almeida e Leonardo Lusa

Produtora Cultural: Graziela Adorno

Animação: Thiago Marcondes

Direção de Arte: Milena Freitas

Ilustrações: Filipe Ienco

Assistentes de Arte: Márcio Coelho, Carolina Caffé.

Edição de Texto: Gabriela Longman

Sonorização imersiva: CPRO

Onde: Museu da Língua Portuguesa, Praça da Luz, São Paulo (entrada pelo portão B)

Quando: de 08/03 a 03/04, de terça a domingo

Horário: das 09h às 16h30

Entrada: gratuita

Crédito @mdfilme

Deixe um comentário